"Este é o Glaciar Perito Moreno. O mais bonito da Terra."

Se você for para lá por terra, não se desespere. 0 caminho é  inóspito e desolador. Mas El Calafate serve de consolo. A cidadezinha, de 8 mil habitantes, tem o estilo pré-fabricada para agradar turistas  foi bem implantada e ela agrada. Hotéis, restaurantes, bares, cafés, lojas e muita madeira estão a postos.

Vale uma caminhada ao longo do belo Lago Argentino. Logicamente, El Calafate é ponto de apoio para Perito Moreno, a geleira monumental a 80 quilômetros dali. A massa de gelo é azulada; é barulhenta, e grita atirando barras enormes de gelo semi derretidas na água. É uma velha senhora que acumula gelo há milhões de anos. Outra senhora geleira da região, a Upsala, é menos acessível, mas a maior da América do Sul. Nela, escalam-se icebergs.

El Calafate está a menos de 200m de altitude e fica localizada na margem sul do lago Argentino, ao pé do Cerro Calafate .A cidade era até pouco tempo apenas um povoado que funcionava como centro de abastecimento para criadores de ovelhas e produtores de lã. A cidade, porém, cresceu muito nos últimos anos com o desenvolvimento do turismo, graças à proximidade com o Parque Nacional Los Glaciares e suas atrações. É também caminho para El Chaltén e suas montanhas, como a popular Rtz Roy, destino de treekers e alpinistas, ao norte do parque. Mas é sobretudo a parte sul do Parque Los Glaciares que atrai viajantes de todo o mundo, onde fica um dos grandes destaques da Patagônia, carro-chefe da região, o estonteante Glacíar Perito Moreno, uma das maiores e mais belas geleiras da Argentina - aliás, de todo o continente americano - visita imperdível.

A Cidade foi fundada em 1927, é uma pequena cidade do distrito de Santa Cruz, localizada no lado sul do Lago Argentino e ao pé da Cordilheira dos Andes. Forma, junto com Puerto Madryn e Ushuaia, o chamado Corredor Patagônico, a junção dos destinos mais procurados pelos viajantes na região, atraindo cerca de 50 mil visitantes por ano.

As temperaturas variam muito da noite para o dia. No verão, podem chegar a WC durante o dia e a 10oC à noite. No inverno, ficam entre 50C e 15oC de dia - de OoC pra baixo ao anoitecer. Se por um lado o clima seco da cidade torna a sensação térmica mais agradável, por outro, o vento forte e constante acaba neutralizando esse efeito. No geral, é bem frio na maior parte do ano.

Os bancos trocam travelcheques, mas sempre com comissões altíssimas. Abrem das 1 Oh-1 5h e a maioria fica na Av. dei Libertador. Algumas agências de viagem, a companhia de ônibus El Pingüino e o Albergue dei Glaciar também fazem câmbio de moeda e travel-cheques.

Agências de viagem Existem diversas, quase sem variação de preços, a maioria na Av. dei Libertador. Excursões ao Glaciar Perito Moreno custam cerca de US$25

El Calafate é bastante pequena, com ruazinhas de terra e duas avenidas principais. A Av. dei Libertador General San Martín, chamada de Av. dei Libertador ou San Martím, é onde fica o centro comercial e turístico, e a Av. Julio Roca, a da rodoviária. Atrás desta há uma escadaria que liga o lado sul da cidade, mais alto, ao norte. Não há linhas de ônibus urbanos, mas tampouco é necessário.

"É um visual extra-terrestre."

A rodoviária fica na Av. Roca 1004, no centro, bem próximo à maioria dos hotéis e hospedagens. Há poucas companhias de ônibus que servem Calafate; na alta temporada (dezembro a fevereiro) é recomendável comprar passagens com antecedência

A cidade localiza-se à beira da RIP 11, estrada de ripio (não-asfaltada, bastante irregular), que segue a oeste por mais 50Km em direção ao Parque Nacional Los a fronteira com a Bolívia no norte, ao longo Glaciares e a leste por mais 30 Km, até a de 4.667 Km. Caminho obrigatório de El junção da RP 5 (estrada asfaltada que Calafate para a cidade de El Chaltén, a continua em direção ao sul até Rio estrada é bastante precária neste trecho; Gallegos) com a RN 40. Esta, também fora da alta temporada é um verdadeiro chamada de Ruta 40, é a maior estrada do deserto, sendo que no inverno é país, indo desde Rio Gallegos, no sul, até praticamente intransitável.

Mais recentemente, a estrada começou a ser explorada turisticamente como uma grande aventura - o que, exageros à parte, não deixa de ser. Pela Ruta 40 é possível, saindo de El Calafate ou El Chaltén, chegar até Perito Moreno (a cidade, não confundir com o Glacial) e posteriormente a Los Antiguos, atravessando a fronteira do Chile. Não espere, porém, cruzar a fronteira para a chilena Chile Chico no mesmo dia.



Em território argentino, de El Calafate a Los Antiguos são 12 horas de viagem através do fascinante deserto patagônico e seus grandes relevos, bem mais interessante do que a retilínea Ruta 3, aquela que vem de norte a sul, mais próxima do Atlântico, mas atravessando uma região totalmente árida e plana. Uma questão a considerar é que a única companhia que opera a Ruta 40 não o faz com uma freqüência fidedigna. Veja mais detalhes adiante, na viagem a Perito Moreno e Los Antiguos.

É bom ficar atento ao viajar de carro pelas estradas de rípio, especialmente ao cruzar com outros veículos. As pedrinhas do chão "pulam" e com facilidade danificam a pintura e quebram vidros - o que não costuma estar incluído no seguro do automóvel, atenção a isso para evitar futuras incomodações. Para aqueles que não têm um veículo 4x4 nestas estradas, uma dica é deixar a calibragem dos pneus um pouco acima do normal, no nível máximo recomendado no manual, durante os trechos mais acidentados.

Os principais passeios são os que saem da cidade com destino ao Parque Nacional Los Glaciares

"Isso é o que restou da era glacial."



Caminhando ao redor da Lagoa Nimes, ao norte da cidade, vêem-se diversas espécies de aves. Para quem estiver a fim de fazer exercício, uma boa é o percurso de 5 horas de subidas e descidas no Cerro Calafate. Para os paleontólogos de plantão, em Punta Gualicho, 7 Km a leste de Calafate, há cavernas com pinturas rupestres, que na verdade estão mal conservadas, mas a vista que se tem de lá já vale o passeio.

As agências de viagem oferecem ainda cavalgadas, pesca, mountain bike, expedições off-road em veículos 4x4, visitas a estâncias da região, entre outras possibilidades.


Na altura do número 1000 da Av. dei Libertador fica La Aldea de los Gnomos, uma galeria onde se encontram lojas de artesanato local, roupas, mantas, doces caseiros e souvenirs. Ao longo dessa avenida há muitas outras lojas de artesanato, e ao pé da escadaria do terminal de ônibus, quando não está muito, muito frio, rola uma pequena feirinha, também de artesanato. Há muitas lojas de roupas e acessórios apropriados para trekkings e escaladas, visando ao público que segue em direção a El Chaltéri. Na World's End, Av. dei Libertador 1170, tem bastante souvenirs e livros, especialmente mapas de estradas e cidades da região.

Parque Nacional Los Glaciares -  este é um dos maiores parques nacionais da Argentina, com 13 mil Km2, o Parque Nacional Los Glaciares tem quase metade de sua área coberta por mais de 350 geleiras, sendo dividido em três zonas. A parte sul, próxima ao Lago Argentino, é acessível pela cidade de El Calafate, e é ali que se encontra o Glaciar Perito Moreno, a mais famosa e espetacular geleira do continente, se não do mundo. Entre os lagos Argentino e Viedma, fica a zona central da reserva, cuja principal atração é o Glaciar Uipsala, o maior da América do Sul; esta zona tem um acesso bem mais limitado e dispõe de pouquíssimas facilidades turísticas. A parte norte do parque corresponde à região do Cerro Fitz Roy, onde se localiza o povoado de El Chaltéri, oferecendo inúmeras possibilidades de trekkings e escaladas.

Glaciar Perito Moreno  - Localizado na parte sul do Parque Nacional Los Glaciares, a 78 Km de El Calafate, o Glaciar Perito Moreno, que leva o nome em homenagem ao pioneiro explorador da Patagônia, Francisco Moreno, é a geleira mais conhecida da região. Estende-se por uma superfície de 250 KM2, desde sua zona de formação no Campo de Hielo Sur, a terceira maior área de gelo do planeta (depois da Antárlica e do Pólo Norte), até o Lago Argentino. Além de sua imponência, é fantástico ver o espetáculo promovido pela geleira quando paredões de gelo, alguns realmente enormes, desprendem-se, provocando estrondos ao cair nas águas do Canal de los Témpanos (Canal dos Icebergs). De fato, o glacial está em movimento: diariamente avança quase 2 metros em seu centro e em tomo de 40cm nas laterais. Não surpreende que o Glaciar Perito Moreno tenha sido incluído pela Unesco na lista dos patrimônios mundiais da humanidade.

A maneira mais comum e barata de conferir o glacial é do Mirador del Glaciar, uma série de passarelas que possibilitam vista panorâmica de diversos ângulos, dando uma boa dimensão da grandeza de Perito Moreno. Até alguns anos atrás havia uma outra passarela, mais próxima à geleira. Uma pessoa que estava ali, porém, morreu com os desprendimentos e estilhaços de gelo, e a tal passarela foi destruída, ganhando todas as demais recuos maiores.

Também é possível contratar excursões de barco pelo Brazo Rico, o lado sudoeste do Lago Argentino. Apesar da distância que as embarcações mantêm da geleira, a vista que se oferece de baixo para cima dá uma perspectiva da imensidão do local bem diferente das que se tem das passarelas. As excursões duram uma hora, custam cerca de US$25 e podem ser contratadas em agências de viagem em El Calafate ou diretamente no Puerto Bajo de Ia Sombra, um porto que fica dentro do Parque, o mais próximo do Glaciar.

A maneira de conhecer o Perito Moreno com mais adrenalina é caminhando sobre ele. A agência de viagens Hielo y Aventura (ver El Calafate) realiza minit rekkings na geleira; o pacote sai em torno de US$83 e inclui guia e equipamento especial. Pode-se fazer a caminhada entre setembro e abril, sempre que o tempo não for um empecilho, como uma chuva forte demais, um vento absurdo ou uma nevasca congelante.

Mais ao norte, o Glaciar Upsala também pode ser visitado pelos passeios de barco que saem do Puerto Punta Bandera, navegando pelo Brazo, Norte do Lago Argentino. As excursões custam em torno de US$60 e duram o dia inteiro.
 

Dicas de GUSTAVO VIVACQUA

1.A cidade de El Calafte é bem maneirinha, tem bons restaurantes e uma vida noturna bem agradável.

2.Alem de hotéis, também tem camping na cidade.

3.O Glacial Perito moreno, não só é a principal atração do local , mas a principal atração de toda a Patagônia. É a geleira mais bonita de todas. Se você pretende ver outras geleiras na Patagônia, deixe essa por ultimo, pois todas as outras vão perder a graça.

4.Existe uma cidade chama Perito Moreno na Argentina. Se liga que o glacial Perito Moreno não fica na cidade de Perito Moreno e sim nas proximidades de El Calafate. Tem neguinho que quebra a cara.

5.Se você curte pinturas rupestres, vá até Punta Gualincho a 7 km a leste de Calafate. As pinturas estão mal conservadas, mas a vista é alucinante.

6.A forma mais barata de ver o Perito Moreno é do Mirador del Glacial. São uma serie de passarelas que ficam relativamente próximas da geleira. Elas já foram mais próximas, porem foram retiradas após a morte de algumas pessoas com o rompimento das enormes paredes de gelo que caem a todo instante.

7.Uma outra maneira bem bacana de ver a geleira é de barco no Brazo Rico.

8.Se der não deixe de fazer uma caminhada pela geleira . O trekking sob o gelo pode ser feito entre setembro e abril.

9.Mais ao norte tem o Glaciar Upsala também, que pode ser visitado de barco. Eles saem de Puerto Punta Bandera.

10.O Perito Moreno avança 2 incríveis 2 metros por dia! As enormes parades de gelo que voce for ver no dia da visita estavam no alto das montanhas a 500 anos atras.

11.Se der tempo visite El Chaten que é bem maneiro.

CLIQUE AQUI para enviar a sua dica.

VEJA AQUI OUTROS DESTINOS