"Aqui tem dunas vermelhas!"

Pouco conhecido e selvagem  o Jalapão fica no Estado mais novo do Brasil, o Tocantins, cuja capital, Palmas, fica a 1.776 km de São Paulo e a 2.124 km do Rio de Janeiro.
Este não é um lugar comum: as estradas sem fim alguns trechos de areia fofa limitam o acesso a esse paraíso, e talvez seja por isso que o lugar ainda esteja tão preservadas.

"Na Cachoeira da Formiga a água é cristalina."

Além das pedras e buracos, o Jalapão é um lugar onde se deve estar atento 100% do tempo: as estradas não são bem sinalizadas, existem poucos postos de gasolina e as chances de você conseguir ajuda, caso precise, são muito pequenas. Por tudo isso a região é conhecida como "deserto" do Jalapão: tem uma das menores densidades populacionais do país, só perdendo para a Floresta Amazônica - cerca de 1,2 habitante / km2.

Saindo de Ponte Alta de Tocantins (porta de entrada do Jalapão, onde a principal atração é pular da ponte da cidade direto no rio), as primeiras paradas são a Fenda Sussuapara que é uma pequena fenda escavada na rocha, formando um pequeno cânion e a Cachoeira do Lajeado (sucessão de pequenas quedas d'água).

"Quebrar o carro aqui é a maior furada."

A partir daí que começamos a sentir o verdadeiro espírito do Jalapão: cerrado a perder de vista, chapadões e morros solitários ao fundo, e a mais completa solidão.

Para chegar na Cachoeira da Velha são 40 km sacolejando no carro valem a pena: o Rio Novo despenca formando duas ferraduras com cerca de 100 metros de largura, a cachoeira da Velha tem aproximadamente 25 metros de queda. E, seguindo o rio, toma-se banho na  Prainha da Velha: uma praia de areias claras rodeada de mata por todos os lados.

"No Fervedouro é impossível afundar."

Os próximos atrativos ficam próximos à cidade de Mateiros. No caminho, visita-se as famosas dunas cor de laranja do Jalapão. A cor é devido à erosão natural dos paredões de arenito (cor avermelhada) que ficam próximos dali: o vento acaba formando uma nuvem das pequenas partículas da rocha, que acabam caindo nas dunas, cobrindo-as com uma camada colorida. Lá tem um  pequeno córrego que corre aos pés das dunas: aproveite para tirar a areia do corpo.

"Quilômetros e quilômetros sem cruzar com nada nem ninguém."

Em Mateiros, a maior atração é o Fervedouro: um pequeno poço de onde borbulha, em meio à areia branca, uma água azul e cristalina. O borbulhar é tão intenso que faz com que não se consiga afundar. Através de uma pequena entrada, logo se avista uma "piscina" de água cristalina, com fundo de areia branquíssima, que reflete o verde das bananeiras que circundam o poço d'água.  A pressão, criada por um fenômeno chamado de ressurgência das águas, impede que o corpo afunde. Isso acontece porque sob a piscina há um lençol freático e logo abaixo uma rocha impermeável. Sem encontrar vazão pela rocha, a água nasce e é jorrada com muita pressão, empurrando para cima a areia e o que houver sobre ela.

"A Praia da Velha é bem relaxante."

Ali perto esta a Cachoeira da Formiga: uma pequena cachoeira forma uma piscina natural de águas completamente cristalinas e de coloração azulada. Com certeza é o banho mais delicioso da viagem. Devido à areia branca que reveste seu fundo, os tons de verde e azul da cachoeira da Formiga se confundem em suas águas transparentes.

O Jalapão é isso quilômetros e quilômetros de estradas ruins, cercadas por cerrado quase virgem e morros vermelhos ao fundo, tudo isso cortado por rios de águas mornas e transparentes.

"Cuidado onde pisa."

Como chegar: de Palmas, a melhor opção é seguir até Porto Nacional e de lá para Ponte Alta do Tocantins: este trecho está todo asfaltado e em boas condições. Existem outras opções, como seguir por Taquaruçu até Santa Tereza do Tocantins, mas a estrada é de terra e sem atrativos. Em Ponte Alta, deve-se pedir informações sobre onde começa a estrada para o Jalapão e depois segui-la até o final da viagem. Só se deve deixar a estrada cascalhada principal, para visitar os atrativos naturais.

"A Cachoeira da Velha é bem volumosa."
 

Dicas de GUSTAVO VIVACQUA

1.Vamos começar pelas lendas famosas que você leu ou lerá sobre o Jalapão ... Aqui, no Viagensmaneiras.com, viagem virtual não existe.
  • Lenda 1: Só dá para ir para o Jalapão com carro 4x4 CORREÇÃO: Na verdade até um Uno se vira bem no lugar. Para ir nas principais atrações, exceto nas dunas, é estrada de cascalho tão duro que as pedras podem furar o pneu do seu carro. Se você sair da estrada principal, aí sim vai atolar.

  • Lenda  2 : Leve  combustível reserva. Lá são 500km sem posto de gasolina. CORREÇÃO: Também não é verdade. Posto de gasolina é coisa rara, mas de 200km em 200km você vai achar um. Custa os olhos da cara, mas carregar gasolina é perigoso e muito chato. Aí vai a dica certa: encha o tanque nas cidades de Ponte Alta do Tocantins, Mateiros, São Felix e Novo Acordo

  • Lenda  3: Só dá para dormir em barraca. CORREÇÃO: Vale a pena levar uma, mas é possível se jogar em dormitórios simples ou pousadas nas cidades de Ponto Alto , Mateiros, São Felix e Novo Acordo ou no meio do nada como a Pousada do Jalapão, que fica entre Ponte Alta do Tocantins e Mateiros

  • Lenda 4: Tem que levar comida se não vai morrer de fome. CORREÇÃO: Existem restaurantes simples em  Ponto Alto , Mateiros, São Felix e Novo Acordo. Você não vai se sentir no Club Med , mas existe comida no Jalapão. De qualquer forma leve muita água e alguma comida para se garantir.

2.O Jalapão é um circuito meio oval de aproximadamente 500km. Para não se perder siga sempre a estrada que tem os postes de luz elétrica. Só saia desta estrada para ir nas atrações do lugar. Não tem erro.

3.Se for de carro, faça uma boa revisão nele , por que se ele quebrar, meu camarada, tú tá ferrado. O lugar não tem nada nem ninguém. A estrada liga nada a lugar nenhum, e qualquer lugar a menos de 100km é meio perto por ali.

4.Em Mateiros você vai encontrar artesanato de capim dourado. Mesmo quem não liga para essas coisas vai ficar impressionado, pois é muito bonito. Leve de presente para quem você gosta. Os gringos já descobriram e a parada é lá fora custa uma bába.

5.Este é um lugar realmente isolado, e para sentir a solidão que este lugar oferece, evite viajar em alta temporada. O lugar, sem ninguém até a onde a vista alcança, é muito especial.

6.Os habitantes da região são mais escassos que os animais silvestres. É 1 cara por km2 , ou seja, cuidado para não atropelar ninguém e exterminar a população local. Em falar em atropelamento, se liga que os animais cruzam a pista o tempo todo e atropelar uma cobra ou uma arara  voando baixo é muito fácil. Não vale a pena correr neste lugar.

7.O fervedouro é a atração mais impressionante. Você pode ver fotos, videos do lugar e pode não entender porque nego fica tão abobalhado quando nada ali. Claro, apesar de ser muito bonito, é o único lugar que fui na vida que não é para se ver, e sim para se sentir. Poder ficar em pé na água sem sentir os pés encostando no fundo é muito legal. E o mais impressionante, quando se grita sai bolhas do fundo. É alucinante.

8.O Rio Novo é o maior rio água potável do mundo. Imagine fazer um rafting numa água que dá para beber. Coisa muito rara.

10.No mato tem muitas cobras. Ande de bota olhando pro chão e lembre-se que a ajuda está sempre longe. Não dê mole.

11.2 coisas são fundamentais no Jalapão: lanterna e repelente. Lembre-se disso.

13.Coisas estranhas podem acontecer, tipo você está tomando uma cerveja em uma cidadezinha e passa uma ema selvagem, correndo no meio da rua, bolada, com cara de: "Ih, ferrou, peguei a trilha errada!" Relaxa, você não está bêbado, você está no Jalapão!

14."Moro em Palmas, Tocantins... e conheço o Jalapão como a palma da minha mão, e não é de hoje.Quanto às lendas, algumas persistem ou são exageradas, isso por que sugiram antes do Jalapão ser divulgado e conhecido. Lenda 1 - Poucos anos atrás, existia pouca infra-estrutura como as estradas que aparecem nas fotos... se vc observar, elas são cascalhadas e bem compactadas... isso é o reflexo do investimento na infra-estrutura da região. Há alguns anos atrás, vc rodava no areão, em algumas situações vc era obrigado a andar por fora da trilha de areia para não ficar encalhado. Outra observação quanto a estrada é que saindo dela vc atola... claro, por que as estradas foram cascalhadas. Onde existiam passagem molhada, hoje existe pontes de madeira e algumas em concreto. Então a lenda 1 é apenas um reflexo do passado. E para provar, tenho algumas fotos de como era a região anos atrás. Lenda 2 - Combustível existe sim e sempre existiu, mesmo por que, algumas cidades tinham gerador para a sua energia. Voltando no passado, a população dos municípios não sustentava um posto de gasolina legalizado. Existia venda de combustível clandestina, vendida em garrafas de refrigerantes ou retirado dos tanques dos carros da região. E hoje o preço ainda é alto, o litro do diesel aqui em Palmas é R$ 1,86 e a gasolina é R$ 2,44 - lá na cidade de São Felix que fica a 270 km de distância de Palmas o diesel é R$ 2,24 e a gasolina é R$ 3,00. Só que para vc fazer esse trajeto...é outra história. (eu fiz em 7 horas (Record) de moto, preparada pra trilha .. hoje já existe asfalto até Novo Acordo.Lenda 3 - Acredito que não seja uma lenda... e sim um privilégio que poucos já tiveram. Essa é a mesma história, antes não existiam pousadas ou hotel... e sim locais privilegiados... principalmente para quem não tinha pressa de chegar em uma cidade da região.Lenda 4 - Comida e água.... cara, se tu quebrasse o carro ou moto no "meião" ou "vazio", dependendo da época do ano.. tu tinha que virar caçador ou tatu, para sair procurando comida e água na vegetação do cerrado para sobreviver. Existe um caso que eu conheci a alguns anos atrás, um caminhoneiro carregando madeira, pra sair da fiscalização.. desafiou o "deserto", isso a uns 8 anos atrás. Deu azar e seu caminhão quebrou no "vazio" acharam o corpo dele depois de 15 dias de morto, estava dentro da cabine do caminhão e segundo os moradores da região, não tinha água no radiador do caminhão também encontraram uma carta, a vítima contando parte da história. Quanto as distâncias, a volta completa na região Jalapão totaliza 778km... dependendo do carro ou moto, um pouco a mais, ou a menos. Essa distância é só à volta, sem contar a visitação dos pontos turísticos ou comunidade como a do Mumbuca que fica depois do fervedouro....era areão, estive lá.Um abraço a todos.. " dica de Ricardo Monteiro

15."De Dianópolis para Mateiros, pela divisa da Bahia, aproveite para conhecer as imensas plantações de soja em terras baianas. Aproveite e conheça a Pedra da Baliza antes de chegar a Mateiro. " dica de Tulio Lemmox

16."Estive la no primeiro fim de semana de agosto . Inicialmente foi o maior furo, loquei uma caminhonete 4x4 com motorista que também seria o guia. O motorista mal sabia chegar em Ponte Alta, entrada do Jalapão. Conheci nesse dia a Cachoeira da velha, uma cachoeira comum, como o guia não conhecia nada o melhor lugar não fui, a prainha da velha. No final do dia retornamos para Ponte Alta dispostos a encerrar o passeio. Pernoitamos na Pousada da D. Lázara. No dia seguinte locamos a caminhonete de D. Lázara e retornamos novamente. Foi quando conheci as dunas, cachoeira da formiga e o tão falado fervedouro.É tudo muito diferente do comum. As dunas moldadas pelo vento, apaga o vestígio da presença humana em alguns minutos. A cachoeira da formiga, excelente para um banho, pois sua água além de uma ótima temperatura, ainda possui uma transparência só vista em alguns lugares muito preservado. O Fervedouro é um encanto. De longe quando o avistei, vi como se a água tivesse a cor de leite. Só depois constatei que não estava vendo a água, e sim, a areia no fundo d'agua. Eu recomendo, com algumas ressalvas:Carro 4x4 novo,guia qualificado (D. Lázara) alimentos, como sanduiches e paçoca, água, refrigerante e cerveja e uma boa máquina fotográfica. Preserve pois em breve nosso Parque do Jalapão poderá se tornar Patrimônio da Humanidade." dica de José Portilho Guimarães

17."Estive no Jalapão em julho  com a família e adoramos. Com tanta gente dando ótimas dicas, resolvi escrever sobre os incômodos de uma viagem para lá, para ajudar as pessoas a tirar ainda mais proveito de uma viagem tão fantástica. Nada que tire o brilho da viagem, mas sabendo antes a gente consegue se planejar e aproveitar mais ainda.1. Nunca esteja em Ponte Alta no sábado. A cidade enlouquece, há boates e bares com som altíssimo até as 6 da manhã. Um cara tem um carrão amarelo com 10 alto-falantes em cada porta e circula toda a noite/madrugada com o som à toda. Bandos de motos com escapamento aberto arrancam por toda parte. É impossível dormir, por exemplo, na pousada da D. Lázara, no Hotel Coelho e no Beira Rio. Se não der jeito e acabar ficando lá no sábado, prefira a Pousada do Jalapão, mais afastada do centro, em que se escuta o barulho mas pelo menos dá para dormir (63 378-1313/1242). Bem, fora isso, a cidade tem o astral prejudicado pela grande quantidade de motos com escapamento aberto. É lugar para passar, não para ficar. Fora os sábados, sem dúvida a Pousada Planalto (D. Lázara e Seu Noli, gente ótima) é a melhor (63 378-1141). Se for julho, reserve sua pousada antes em Ponte Alta. Há poucos leitos e não há camping organizado.2. Não há troco em lugar nenhum. Nem para nota de 10. Leve um pacotaço de notas de 1 real e moedas, ou vai ser muito difícil até mesmo comprar algum mantimento que precise. Pelo jeito isto vale para todo o Tocantins.
3. Não aceitam cheque nem cartão de crédito em lugar nenhum. Nem nos postos de gasolina. Leve bastante dinheiro em espécie (e trocado).
4. O colega aí em cima disse que dá pra ir com carro comum, mas minha opinião é que não dá. A estrada principal, que liga Ponte Alta a Mateiros, etc., dá bem para um carro comum. Mas as saídas para as atrações não dão. Por exemplo, o acesso de 29 km à Cach. da Velha, o acesso de 2 km à Cach.do Lajeado, o de 4 km até as dunas, o de 6 km até a Formiga, etc., todos dão tranquilo para jipes, mas um carro baixo e comum corre muito risco de ficar no areião. Se você não tem jipe, não se arrisque: contrate um pacote com guia e carro. Lá não vi que aluguem um jipe para você dirigir, mas há muitos guias ótimos que têm seu próprio carro alto e 4x4 e te levam para todo lugar. Em Ponte Alta, por exemplo, há a ótima D. Lázara e o Beleco, no www.beleco.com.br. Encontramos com outros bons guias no caminho, com clientes satisfeitos. Então o padrão está bom.5. Não acampe na Prainha da Cachoeira da Velha. É proibido, mas como não há fiscal, já está estragando, por mal frequentada. Encontrei um pessoal de Ponte Alta que lotou a praia de lixo, poluição visual e farofa. Chegamos àquela praia maravilhosa e encontramos coisas como anzóis na areia, sabonete, melão chupado, colchão tomando sol, fogueira e churrasco no meio da praia. Não tinha nem como tirar foto da praia. Lamentável... Mas não perca acampar uma noite na Pousada do Jalapão, aquela que fica 8 km antes. Ela está desativada e o casal de caseiros, muito simpático, por enquanto está deixando acampar por ali. O lugar é lindo, a visão vai longe, há muitos pássaros (coruja, picapau!), pôr e nascer do sol incomparáveis. (Infelizmente nos últimos 10 anos caçaram todos os veados e faz tempo que não se vê um... os lobos guarás também sumiram.)6. As mutucas são onipresentes. No geral dá para encarar, mas o pior lugar é a trilha que vai para as dunas. São pelo menos 6 mutucas em volta de cada pessoa - em cada perna. Sabendo disso, vista uma calça comprida. Pronto, o incômodo some.Por fim, não deu para irmos, mas tivemos ótimas referências da Cachoeira da Fumaça, que fica na ótima estrada que vai para Dianópolis, já quase em Rio de Conceição. Também tem as Cachoeiras do Soninho - vimos fotos lindas. Ninguém fala delas. E não precisa de guia, tudo é sinalizado na estrada. Para quem vem do Sul, considere ir ou voltar por ali. A estrada de terra Ponte Alta-Rio de Conceição-Dianópolis não consta do Guia 4Rodas mas existe e é muito boa.É isso. Espero ter ajudado os próximos viajantes. Divirtam-se!" dica de Márcio Porto

18."Planejei a viagem p/ o jalapão é uma viagem super maneira viajei de safira eu e outro amigo também de safira. saímos de Petrópolis rj a estrada e boa e tranquila chegamos em ponte alta a noite e dormimos na cidade;pela manhã partimos p/ mateiros a onde tem os atrativos ficamos na pousada e restaurante panela de ferro do José Roberto e da jó foi excelente!outra pousada boa e a buritis do seu Julio (GAUCHO)tudo e muito bonito vale a pena conhecer só não vá na época das águas que e dez.á abril p/ chove muito e perigoso! fora isso é um paraíso vale a pena ir,se você dirige bem pode ir com seu carro comum se não e melhor contratar um 4x4c/guia porque mesmo assim vimos alguns 4x4 atolados porque faltou braço ,e só sai se aparecer ajuda se ñ vai dormir na estrada até aparecer ajuda que pode demorar.conselho:viaje em grupo leve cordas,água,lanterna,repelente,alimentos e boa viagem!" dica de RICARDO DE PETRÓPOLIS RJ

19."Conheci o jalapão a uns anos atras,quando de são paulo fui visitar o estado Tocantins ,com muita dificuldade cheguei na pousada do Jalapão com um carro golf ,acho que foi um feito ainda não superado .A pousada é ótima mas aconselho quem quiser conhecer é melhor ir de 4x4 ."dica de Lucas

20."Acabei de voltar do Jalapão . As dicas que li aqui me foram úteis. Vamos lá para minhas impressões. Primeiro, o carro tem que ser 4X4 sim, inclusive para a estrada entre Ponte Alta e Mateiros. Está bem ruim. E as estradas pra chegar na Cachoeira da Velha estão também ruins. Fui com um Tracker 2.0 (gasolina) e tive que usar a reduzida alem da tração 4X4 para sair de um areial proximo das Dunas. Dicas - Pousada Planalto em Ponte Alta - onde contratamos Seu Antonio um guia simpático de, acreditem, 83 anos, e que conhece tudo e todos. Em Mateiros a Pousada Panela de Ferro é muito boa. Melhor que a Planalto. Gasolina não é problema. Tem em Ponte Alta (encha o tanque) e em Mateiros (mas custa a bagatela de 3,20 o litro..) Se alguém quiser mais alguma dica me mande email garcia.av@gmail.com dica de Ariovaldo

21."Cheguei do Jalapão. Estamos na temporada de chuvas na região e na ida para Mateiros choveu muito, o que não foi muito problema na estrada principal que está razoável mas nos acessos secundários para os pontos turísticos ...aí a coisa fica difícil. O grupo se organizou assim: alugamos um Uno Mille e uma camionete 4X4 e tínhamos um guia de Palmas. A Hilux não teve problemas com o trajeto mas o Uno mille atolou já na estrada principal por causa da chuva forte e do areião. No dia seguinte, a chuva parou e o tempo estava ótimo, seguimos visitar as cachoeiras etc, MAS nos acessos das dunas ,cachoeira da velha, deixávamos o Uno na estrada principal e carregávamos as pessoas na carroceria da camionete. Só assim deu certo! Os acessos têm estrada muito ruim, atoleiros e areia solta. O jalapão vale a pena! É uma experiência inesquecível!"dica de lia nara paludo

22."Recomendo não abastecer em Mateiros, somente em Ponte Alta pois o preço em Mateiros e estratosférico, o mais alto que já vi em toda minha vida!!! Tb falam que não compensa ir além de Mateiros, pois São Felix e Novo Acordo possuem poucas atrações."dica de Ricardo

23."Chegamos ontem de Mateiros. Fomos por Ponte Alta e ficamos na Pousada do Sr Julio ( dos Buritis).Procurávamos lugar pra dormir e boas informações dos lugares. A família do Sr Julio, é muito simpática e nos ajudou bastante.Fomos num uno mille e quando tentamos sair da estrada principal, atolamos três vezes.Mas, desatolamos fácil empurrando.Da próxima vez, ou alugo uma caminhonete traçada (caro) ou alugo um uno mille com pneu alto (175) em palmas (R$ 50/dia) ,porque detona com o carro. O passeio é muito divertido.Valeu a pena."dica de William

24."Fizemos o Jalapão de Gol 1.0 (é usar e abusar).
Saldo: 1 pneu furado, 1 atolamento, 1 peito de aço no saco.
Fizemos os principais passeios, exceto as dunas (não precisa abusar tanto!) e a comunidade do capim dourado (preferimos gastar mais tempo no Fervedouro e na cachoeira da Formiga).
Ao perguntarmos à famosa dona Lázara como se chegava na cachoeira da Velha ela riu da nossa cara por que acreditávamos ser possível chegar de Gol... Valeu dona Lázara! Isso nos encorajou bastante a não te pagar nem a pau 200 reais para ir do lado de fora da 4x4 sem incluir hospedagem nem alimentação.
Aconselhamos a quem for pegar uma excursão para o Jalapão, que feche o pacote em Palmas, tem pacotes de 550 reais com tudo incluído (transporte, hospedagem e algumas refeições). A dona Lázara cobra 350 (do lado de dentro da 4x4) para dois dias, sem nada incluso.
Além disso, quem for ficar na pousada da dona Lázara em Ponte Alta, pegue quarto sem ar-condicionado, por que o ar não funciona direito, além de ser desnecessário (à noite venta bastante e a ajuda de um ventilador é mais eficiente contra os pernilongos). A relação custo/benefício da pousada dela não é das melhores, mas não chegamos a ver as outras pousadas para compararmos. A comida do restaurante da dona Lázara é boa (como vocês podem ver, ela é o Roquefeler do Tocantins!)
Aconselhamos também que façam esse passeio logo. Tá tudo virando represa para usina hidrelétrica... A propósito, me esqueci de avisar que em Mateiros o risco de passar fome com dinheiro no bolso é real. O jantar é sob encomenda e não interessa para as pousadas fazer jantar para 2 pessoas. Além disso, o que eu disse sobre o ar-condicionado da dona Lázara, vale também para Mateiros: prefiram os quartos com ventilador e durmam de janelas abertas.
E só mais uma dica: é possível chegar em Mateiros pela Bahia. Aliás, a estrada é melhor.
Descrições da nossa viagem em breve no blogg Então http://purushavishnu.blogspot.com/ "dica de Mineirinhos Valentes

25."Todos falam do jalapão tendo como referencia a capital,mas quem vem por brasília deve seguir a estrada de dianópolis,alem de economizar mais de 300km vocês ainda vão conhecer a garganta,um lugar q parece uma cidade de pedra,ou o rio da conceição onde temos poços de águas cristalinas e belas cachoeiras como a do cavalo queimado,vale a pena ver dianopolis,rio da conceição(portal do Jalapão)e garganta...o começo de uma aventura inesquecível..."dica de rosimary furtado mokfa

26."Muito de ouve sobre o Jalapão e a anos as coisas permanecem iguais. 4x4 não é necessário pra quem fica na estrada principal, mas se sair dela...boa sorte. As atrações que recomendam são essas mesmas. Para evitar dar a volta, é possível sair pela Bahia. Não há mapas, placas e apenas estradas entre fazendas. Ali o 4x4 é uma pedida essencial."dica de Nicolas Jan Versteeg

27."FUI AO JALAPÃO NO MÊS DE OUTUBRO, ERAMS UMA TURMA RAZOAVELMENTE GRANDE EM UM PEQUENO MICRO ONIBUS, MAL TINHA ESPAÇO PARA RELAXARMOS UM POUCO, POIS AS COISAS E AS COMITIVA TOAMRAM DE CONTA. NOSSA FALAR DE JALAPÃO É FALAR DE AVENTURA, SEMPRE TIVE VONTADE DE CONHECE-LO E ESSA FOI A OPORTUNIDADE... PENSA COMO FOI MARAVILHOSO APESAR DOS PERCAUSOS, ESTAVA CHOVENDO MUITO, O FREIO DO CARRO QUEBROU, AS ESTRADAS ISOLADAS, ATOLAMOS, MOLHAM0OS, PASSAMOS FOME, JALAPÃO É UM DESERTO, NÃO TINHAMOS GUIA, NOSSA FOI DEMAIS, PASSAMOS MAIS TEMPO NO MICRO DO QUE NAS PAISAGENS EXUBERANTE QUE EXISTE LÁ, SAIMOS DE DIANOPOLIS 5 DA MANHA CHEGAMOS EM MATEIRO 1 DA TARDE, ACAMPAMOS NA CACHOEIRA DA FORMIGA ONDE CHEGAMOS AS 16 HORAS MAIS OU MENOS, ISSO POR QUE ATOLAMNOS NO PERCURSO DE MATEIROS PARA A CACHOEIRA DA FORMIGA. CURTIMOS ATÉ 11 DA MANHA DO DIA SEGUINTE, A CACHOEIRA E SENSACIONAL, AGUAS LIMPIDAS, DAI SEGUIMOS PAR AO FERVEDOURO, 5 REAIS PARA FICAR 5 MINUTOS BOIANDO, ISSO POR QUE TEM O QUANTITATIVO DE PESSOAS QUE PODEM FICA LÁ DENTRO, NOSSA O LUGAR E DIVINO, AMEI. DE LÁ VOLTMAOS P MATEIRO PENSA NUM LUGAR ISOLADO, CONHECEMOS O MUSEU DO CAPIM DOURADO, QUE MARAVILHA, ENTÃO SEGUIMOS VIAGEM P CACHOEIRA DA VELHA ISSO JÁ ERAM UMAS 2 HORAS DA TARDE, ADNDAMOS, ANDAMOS, ATÉ NÃO QUERER MAIS, SO QUE INFELIZMENTE NÃO DEU PAR AIR P CACHOEIRA DA VELHA POIS A TREPIDAÇÃO ERA DEMAIS, E JÁ ESTA ANOITECENTO, SEGUIMOS VIAGEM PARA PONTE ALTA, ONDE CHEGAMOS ERA MAIS DE 8 DA NOITE, PERNOITAMOS POR LÁ, CONHECEMOS A CIDADE E VOLTAMOS PARA A CASA, AS DUNAS R CACHOEIRA DA VELHA FICARAM PARA A PROXIMA VEZ... MAIS FOU MUIOT LEGAL, NOS DIVERTIMOS MUITO, É UM LUGAR DIVINAMENTE MARAVILHOSO. ESTE ANO QUERO VOLTAR NOVAMENTE, SO QUE AGORA VOU PRIMEIRO PARA A CACHOEIRA DA VELHA." ELIANE FÁTIMA

28."Conheci o Jalapão com uma empresa chamada 40º no Cerrado o guia foi o Diego, saímos de Palmas e fizemos o roteiro de 3 dias visitando os principais atrativos do Parque Estadual do Jalapão. Fica a dica, esse pessoal conhece muito bem a região... valeu."daniel

29.Sobre posto de combustivel em mateiros jalapao Na assim nao hoje tem posto de combustivel em mateiros e tem uma boa reputaao seu produto e se falta sempre mantee m ordem. murillo

30.Estive na região do Jalapão em setembro e adorei! Inicialmente pensei em ir por conta, mas após orientações de contatos em Palmas, contratei os serviços de um guia local. O Marcio Turcato, um tocantucho (gaucho legítimo que vive no Tocantins e que conhece a região e a comunidade como ninguém) fez toda a diferença; além de conhecer a região super bem, ele nos apresentou pessoas da comunidade; gente simples e da melhor qualidade! Por estarmos acompanhadas de um cara muiiitooo gente fina, em todos os lugares que chegavamos, todos abriam as portas com o maior carinho. Assim ficou fácil conhecer os pontos mais divulgados como as Dunas e alguns pontos que não são muito explorados pelo turismo como a praia da carioca, na fazenda Progresso (dos adoráveis Dona Nilma e Seu Antonio), o fervedouro do Alecrim (fico sem folego só de lembrar...) e o restaurante da Vila (comunidade Mumbuca). Realmente a região é deserta e mal sinalizada, os pontos mais incríveis ficam muito isolados e são de difícil acesso (por isso a necessidade de um guia experiente). Apesar das características locais, vi que o Jalapão é uma aventura possível para qualquer pessoa e imperdível. Vale a pena conhecer e apoiar a população na defesa da região. Embora a região estivesse sofrendo uma das piores queimadas da sua história, foi uma viagem incrivel!Lucimara

31.Tive recentemente (04/11) no Jalapão. Sem dúvida é um dos lugares mais bacanas do Brasil. Um lugar, um mundo mágico.
Pra ficar tranqüilo e ter a liberdade de ir e vir quando quiser vá de carro. Um carro comum vai até Mateiros é verdade, mas a estrada de terra é longa e alguns pontos tem muito cascalho solto. Para ir às atrações (que é o mais legal do lugar) só mesmo de carro traçado (4x4). Alugue um. Em Palmas tem boas opções. Preferi uma locadora de nome nacional, que me forneceu uma Triton novinha e automática (ótima para areia). Se seu carro pifar nesse lugar e se sua expedição for solitária (um carro só) estará ferrado ao extremo. Nunca ande com menos de 1/2 tanque. Há posto de combustível nas cidades. É caro, mas tem.
Existem trechos de areia fofa e com elevação no meio da pista. Eventualmente até uma camionete raspa o fundo. Tem opção de hospedagem muito bacana em Mateiros. Fiquei na (recém inaugurada) Pousada Santa Helena (tudo novinho, ótima estrutura e direito até a wireless). Muito boa.
É necessário ter um guia, sim. Muitas atrações já são sinalizadas, mas aquela erosão nova que surgiu semana passada e pode colocar seu traçado em X (duas rodas transpostas no ar) e sem tração, só os guias conhecem. Vale, sem dúvida, levar um. Em Ponte Alta existem bons. Pergunte no posto de gasolina onde mora o "Dollar" que apesar do apelido, cobra um preço muito justo!!!
Ninguém morre de fome do Jalapão. O jantar precisa s er encomendado, mas na D. Rosa ou no Rancho 21 em Mateiros pode-se matar a fome com gosto.
Compras? Capim Dourado. Muito!!! Leve presentes até para os vizinhos. Ainda tem bom preço, apesar de que em Mumbuca já está levemente inflacionado!!!
Lembre-se que está em um lugar longe de recursos maiores e todo cuidado é pouco, pois a natureza ainda é meio selvagem. Cobras, escorpiões são normais. Leve bota de cano alto ou perneiras (proteção de canela que vende em casas de material de segurança do trabalho). Prefira andar com esse artefato (pouco normal) na canela do que perder seu passeio e correr risco. Tempo necessário para o Jalapão: 4 dias. No mais, curta o lugar, converse com a natureza. Viva o Inesquecível. Tércio

32.Estive lá agora em julho e se não for de 4x4, não vá ! Vai atolar e ficar na areia e na poeira ou estragar o carro, na certa. Reserve sua comida antes se quiser comer em Mateiros. Em Ponte Alta, Novo Acordo ou São Félix, também é difícil, mas fome vc não passa. Muito repelente, protetor solar e disposição. Compensa a viagem ! Terezinha Guedes da Silva

 

`

CLIQUE AQUI para enviar a sua dica.

VEJA AQUI OUTROS DESTINOS