"Aqui são as famosas minas do Cerro Rico"

Potosí nasceu com a descoberta de prata na montanha Cerro Rico . A 4000 metros do nível do mar, é uma das maiores cidades do país, com 134 mil habitantes, e possui a herança viva de um trágico passado colonial,

Potosí fica aos pés do Cerro Rico, que situa-se ao sul do centro. Suas ruas são quase sempre inclinadas e, por isto, esteja preparado e preferencialmente aclimatado à altitude, pois qualquer caminhada exigirá esforço. 0 Centro Histórico, em sua parte alta, é a melhor localização para hospedar - se, já poupando algumas subidas desnecessárias.

Duas praças, uma ao lado da outra, caracterizam a área central da cidade. A principal é a Plaza 10 de Noviembre, onde fica a Catedral. Um pouco mais acima, a Plaza 6 de Agosto, onde se encontra o quiosque de informações turísticas. A rua mais importante é a Ayacucho, que cruza as duas praças principais, e também a esquina das calles Bolivar e Oruro, que concentra bastante comércio.

"Casa de la  Moneda."

As 80 igrejas guardam, mesmo depois da pilhagem ocorrida no século 19, uma riquíssima coleção de arte sacra deixada pelos fervorosos católicos espanhóis. Mas nada na cidade é mais impressionante do que uma visita às últimas minas de Cerro Rico. Mas o preço da extração da "inesgotável" prata, entre 1545 e 1825, pode ser considerado um dos maiores genocídios da humanidade. Custou a vida de mais de 8 milhões de índios sul-americanos e escravos, trazidos aos milhares da África.

Desde que a região de Potosí foi descoberta, em 1545, o reino espanhol explorou aquela que foi uma das maiores minas de prata do mundo, e ali fez nascer, no distante sul da Bolívia, uma sociedade rica,de luxo e ostentação na mesma proporção em que praticava o desperdício e a violência. A riqueza existente em seu solo financiou durante quase 200 anos o desenvolvimento da Europa, ao mesmo tempo em que marcou a história do continente sul-americano.

0 esplendor de li ocorreu no Século 17, quando a cidade chegou a ser uma das mais ricas do mundo. Por volta de 165D tinha 160 mil habitantes, uma População superior à de Paris, Roma ou Madri. A riqueza ostentada durante o período da exploração da prata, na montanha que posteriormente passou a ser chamada de Cerro Rico, ergueu tempos e palácios, atraiu aventureiros e derramou muito sangue. Contam que, no auge do período de extração do minério, até Rs ferraduras dos cavalos eram de Prata.

Alguns escritores bolivianos afirmam que, em três séculos de exploração, a Espanha recebeu tanto metal de Potosí que seria possível construir uma ponte de prata do cume da montanha até o outro lado do Atlântico. Claro, um dia a prata acabou, e li amargou um período de profunda decadência.

"Tá olhando o que?"

Cerro Rico é a principal atividade turística em Potosí. Existem hoje aproximadamente 2.500 entradas de minas, com 300 ainda em atividade, das quais se extrai estanho, zinco, chumbo e cobre, com cerca de 7 mil pessoas trabalhando - incluindo em torno de mil crianças, de forma ilegal e escondida dos olhos dos turistas.Para visitar as minas, que ficam no Cerro Rico, você desce cinco níveis, que têm uma diferença de 20 metros entre eles. No total, dá um pouco mais de 100 metros pelas perigosas galerias da montanha, em direção ao interior da terra, onde se pode acompanhar as dificuldades de um exaustivo trabalho, que a muitos impressiona e instiga. 0 método ainda utilizado não difere muito daqueles praticados no período colonial, tal a precariedade com que milhares de mineiros arriscam suas vidas diariamente na busca pelo estanho. Aliás, o estanho só está ali porque os espanhóis, na época, o desprezaram completamente.Também deve-se alertar que é um tour perigoso. 0 trabalho mineiro é bastante arriscado e você estará ali, convivendo diretamente com esta realidade. A presença de visitantes no interior, junto ao trabalho de mineração, deixa a movimentação nos túneis um tanto complicada. As galerias são estreitas e eventualmente os carrinhos de ferro que trazem o entulho de dentro da mina passam em alta velocidade, obrigando os turistas a saírem do caminho urgentemente.


Museo Casa de la Moneda A riqueza gerada pelo Cerro Rico fez com que Potosí fosse uma das três cidades dentre as colônias espanholas a sediar uma Casa da Moeda, onde era fundida a prata retirada das minas. A construção do imponente edifício de dois pisos, com três grandes pátios internos, e diversas salas, iniciou em 1758 e foi concluída em 1773. Além da fundição, a casa serviu de presídio e de quartel durante a Guerra do Chaco, entre 1933 e 1935. A antiga casa do dinheiro hoje abriga um impressionante acervo artístico e histórico, com destaque para as obras de Melchor Perezde Holguin, o artista mais importante do período colonial da Bolívia

"A cidade tem ruas bem estreitas."

Catedral -A catedral de Potosí foi construída a partir de 1564, inaugurada em 1572 e teve suas obras finalmente concluídas em 1600. No início do século 19, porém, ruiu, sendo reconstruída entre 1808 e 1838. Sua arquitetura segue o estilo neociássico grego com intervenções de arte espanhola.

Igreja da Companhia de Jesus
- É uma construção jesuítica de 1707 sobre uma outra igreja que ruiu em 1590, com a torre do sino de arquitetura barroca. Não há visitação, pois no local funciona hoje urn órgão governamental. Muitas outras igrejas,, mantém em suai estrutura obras de grande valor, além doa arquitetura exuberante de seus prédios- Eventualmente, algumas estão abertas; para as missas, o que pode ser um bom momento para conhecê-las. São várias ais igrejas que você pode encontrar, como a. Jerusalém, na C. Oruro, próximo da Universidade Autónoma Tomás Frias;

 

Laguna Tarapaya é uma inusitada fonte de águas termais em forma de um círculo perfeito, responsável pelo abastecimento de um pequeno circuito de termas nas proximidades. 0 povo acredita que as águas têm propriedades medicinais. 0 direito a tomar banho nas termas custa Bs.3 por hora. Tours guiados até a laguna custam US$10. 0 ônibus para Tarapaya, da linha Miraflores-Tarapaya, sai por Bs.3 e parte do mercado Chuquimia, na Av. Universitaria, a cerca de três quadras do terminal de ônibus, em direção ao Centro Histórico. Algumas empresas oferecem um tour por povoados e fazendas nos arredores de Potosí, viajando até 60 Km.

"Vou nessa!"

Museo Mirador San Francisco -A atual Igreja de São Francisco foi construída entre 1707 e 1726, substituindo a original, de 1547, que foi a primeira de Potosí. No seu interior está exposta a imagem do Santo Cristo de La Vara Cruz de Potosí, que teria aparecido na porta da igreja em 1550. Desde então, a imagem é cultuada pelos fiéis, que também lhe atribuem milagres. 0 museu mantém um importante acervo artístico e catacumbas, que também podem ser conhecidas em visitas guiadas. Mas o que realmente compensa o ingresso é o mirante da igreja, de onde se tem uma das mais belas vistas de Potosí.

Museo Santa Tereza -0 museu também engloba a igreja Santa Tereza e o convento de Santa Tereza, antiga residência das enclausuradas Irmãs Carmelitas.  As visitas são em grupos, com guias em espanhol e inglês, durando em torno de uma hora e meia. A construção iniciou em 1685 e terminou sete anos depois. A ordem era extremamente elitista, só aceitava filhas de famílias conceituadas que lhes doavam generosos dotes, originando o acervo artístico que hoje integra o Museo Santa Teresa. Vale para conhecer a vida das carmelitas e a bela igreja, igualmente um dos pontos altos, com suas belas pinturas e arquitetura interior. Visitas sem custo podem ser feitas nos horários de missa.

Escola Taller Potosí Na Plaza dei Estudiante, no antigo prédio da Igreja San Bernardo. De arquitetura barroca datada de 1590 e reformada em 1720, é fruto de uma parceria com o governo da Espanha. A Escola forma artistas em diversas áreas, capacitando-os para a restauração e a manutenção das obras de valor inestimável presentes na cidade.

Dicas de GUSTAVO VIVACQUA

1.Chegando em Potosi tome um chá de coca para aliviar o mal estar da altitude de 4000 metros!

2.Além do ar ser rarefeito a cidade é em uma ladeira. Ou você desce ou você sobe. Não tem jeito.

3.A atração principal é visitar as minas de cobre do Cerro Rico. A montanha virou um queijo suíço de tantos túneis. Ponha um capacete, escolha um buraco e não se assuste com as constantes explosões que tem lá dentro.É muito doido.

4.Um passeio importante é a Casa de La Moneda que dura cerca de 2 horas.

5.Dê uma boa caminha pelo Centro Histórico. Lembra muito Ouro Preto.

6.No comedor popular você consegue comida bem barata. Além disso a cidade é cheia de restaurantes para todos os bolsos.

7.Leve roupa de frio, afinal esta é uma das cidades mais altas do mundo.

8.Existem diversas opções de hospedagem e a maioria fica em casarões coloniais.

9.No Mercado Artesanal você poderá levar uma lembrancinha da cidade.

10.A 22 km de distancia você poderá tomar um banho de águas termais na Laguna Tarapaya.

CLIQUE AQUI para enviar a sua dica.

VEJA AQUI OUTROS DESTINOS