"Aqui tem vários vulcões!"

O deserto do Atacama está localizado na região norte do Chile com cerca de 200 km de extensão e é considerado o deserto mais alto e mais arido do mundo, pois chove muito pouco na região, em conseqüência das correntes marítimas do Pacífico não conseguirem passar para o deserto, por causa de sua altitude. Assim, quando se evaporam, as nuvens úmidas descarregam seu conteúdo antes de chegar ao deserto, podendo deixá-lo durante épocas sem chuva. Isso o torna de aridez incrível.

As temperaturas no deserto variam entre 0ºC à noite e 40ºC durante o dia. Em função destas condições existem poucas cidades e vilas no deserto, uma delas muito conhecida é San Pedro do Atacama ou São Pedro do Atacama que tem pouco mais de 3.000 habitantes e está a 2.400 metros de altitude por ser bem isolada é considerada um oásis no meio do deserto e o principal ponto de encontro de viajantes do mundo inteiro, mochileiros, fotógrafos, astrônomos, cientistas, pesquisadores, motociclistas e aventureiros.

Apesar de pequena e isolada no coração do deserto mais árido do mundo, San Pedro possui uma vida agitada, mesmo depois da meia noite, os bares e restaurantes ficam lotados com pessoas conversando e planejando o dia seguinte

Era primeiramente habitada pelos atacamenhos, povo da região juntamente com a civilização dos nativos aymaras, ambos deixaram um legado inestimável em termos arqueológicos, daí o seu nome deserto do Atacama.

Há importantes manifestações de arte rupestre pré-colombianas na região, é o berço de uma das maiores esculturas de figura humana feita na pré-história, o Gigante do Atacama.

"Essa é a famosa Igreja de San Pedro de Atacama."


Valle de la Luna A 12 Km de San Pedro, localizado na Cordillera de Ia Sal, o Valle de Ia Luna é uma extensão de terra e areia avermelhadas com formações rochosas singulares, como as Tres Marias, um rochedo de três pontas, e outras vistas impactantes. Parte do solo é coberto de sal branco, o que dá ainda mais a impressão de estar em um ambiente não terráqueo. 0 entardecer é um momento especial, quando as cores ficam ainda mais fortes e belas. Na grande cratera central há uma impressionante duna de areia, onde um estreito caminho em seu topo leva a um dos mais concorridos miradores. De lá, pode-se ver o pôr-dosol no céu magenta, em meio aos vários picos andinos. A noite também é bela no vale. 0 brilho da lua reflete no chão de sal e as sombras são fortes e bem definidas no solo, como se fosse dia. Aos que têm mais tempo, chegar lá de manhã e passar o dia vendo a mudança de cores e sombras até a noite é um excelente programa. É um dos locais que mais atraem turistas em San Pedro. 0 acesso se dá por carro, bicicleta ou passeio organizado das agências.

Aldea de Tulor Próximo ao Valia de Ia Luna, a sudeste, Tulor é um conjunto arquitetônico de recintos circulares, habitado entre 800 a.C e 200 d.C pelos antigos povos atacamenhos. Com extensão de 1 Km, essas habitações estão hoje a 1 metro abaixo do nível do solo, formando um interessante padrão de círculos no deserto. Chega-se de bicicleta, carro ou tour.

Valle de la Muerte - Também na Cordillera de Ia Sal está o Valle de Ia Muerte, um vale de cerca de 2 Km de extensão onde se pratica sand-board nas dunas. É o local mais próximo de San Pedro para visitar - e não há ônibus. Siga pelo asfalto em direção a Calama. A 1 Km da saída da cidade há uma placa indicando "Cordillera de Ia Sal". Entre à direita na pista de terra que fica entre a rodovia e outra entrada a 900 desta. Já dentro do vale, você passa por uma pequena lagoa verde esmeralda .Mais à frente, a estrada sobe e aos poucos vai sendo coberta de areia - difícil para bicicletas. No topo o visual é o vale com a Cordilheira dos Andes ao fundo. Os tours que vão para o Valle de Ia Luna dão uma passada rápida pelo Valle de la Muerte' mas não o cruzam por completo. Quanto ao nome do vale, há duas teorias: uma, porque o local é muito seco e não há vida. Outra, por uma confusão de nomes. Quando Le Paige viu este lugar pela primeira vez, o chamou de Vale de Marte, devido à cor avermelhada do solo, como o planeta. Ao pronunciar "Marte" em francês, confundiram com "morte", e o nome pegou.

"Estradas sem fim."

Laguna Verde e o Sul da Bolívia Cruzando os Andes e a fronteira boliviana, chega-se à Laguna Verde, do outro lado do Vulcão Licancabur. A Laguna tem águas verde-esmeralda e está localizada num vale belíssimo, rodeada de vulcões e montanhas nevadas. Não há ônibus regulares, mas as agências organizam passeios de um dia, com retorno a San Pedro, e também excursões de três dias Bolívia adentro, passando por lugares espetaculares - a LIS$80 por pessoa com refeições e acomodação básicas -, como a Laguna Colorada, o Desierto Siloli e o Salar de Uyuni, deixando o viajante na cidade de Uyuni.. Com mais um dia você pode retomar ao ponto de partida, San Pedro. Veja mais no capitulo da Bolívia, Uyuni.

Chuquicarnata É um povoado localizado no deserto, a 16 Km de Calama. Chuquicamata, também conhecida por Chuqui, pelos locais, abriga a maior mina de cobre do mundo, conquistada pelo Chile após a vitória sobre a Bolívia na Guerra do Pacífico - um imenso buraco no solo, onde há quase cem anos, ingleses e americanos começaram a explorar as riquezas minerais. As visitas são gratuitas (embora lhe peçam uma contribuição voluntária) e oferecidas à tarde. Devido às condições muito ruins de moradia na área, Chuquicamata está para se transformar em uma cidade fantasma, visto que sua população, atualmente de 13 mil habitantes, será inteiramente transferida para Calama nos próximos anos, de acordo com decisão do governo chileno.

"Este é o Vale da Morte."

Igreja de San Pedro de Atacama Aberta diariamente e com entrada gratuita. Localizada em frente à Plaza de Armas, no seu lado oeste. Construída em adobe e pintada de branco, foi inaugurada no século 17 no local onde o padre Cristábal Diaz de los Santos rezou a primeira missa na cidade em 1557. Seu teto e as portas são em madeira de cactus cardón, os muros datam de 1745, e a torre do sino de 1890. Em 1957 foi declarada monumento nacional. Em fevereiro de 2001 a igreja foi invadida e vândalos queimaram sete imagens sacras, incluindo a de San Pedro.

Museu Arqueológio Gustave Le Palge  - Entrada US$2, estudantes pagam metade. Localizado a uma quadra a leste da Plaza de Armas, na C. Padre Gustave Le Paige, o museu, fundado pelo padre e arqueólogo belga Gustave Le Paige, em 1955, expõe uma completa coleção de objetos da cultura atacamenha e pré colombiana, explicando a evolução dos povos que habitaram a região a partir de 11 mil anos atrás, o domínio inca e a colonização espanhola. Devido ao clima extremamente seco do deserto chileno, a preservação de corpos, incluindo a múmia de uma criança indígena e muitos crânios, assim como de objetos, foi muito boa, denominando San Pedro a "capital arqueológica~' do Chile.

Casa Incaica No lado leste da Plaza, esta casa de adobe é o lugar onde o conquistador Pedro de Valdivia ficou hospedado, enquanto realizava a campanha pela conquista do território do Atacama, contra os incas. É a construção mais antiga de San Pedro, datada de 1540, e, como hoje é propriedade privada, visitas não são permitidas.

Vulcão Licancabur  - Sempre mirando San Pedro está o vulcão Licancabur, um perfeito e majestoso cone nevado com 5.916m de altura, a oeste da cidade. Na cratera do vulcão, já extinto, há uma lagoa de águas esverdeadas. Em tempos pré colombianos, era um local de sacrifício de fetos de animais. Logo essa prática foi proibida pelos espanhóis, mas os povos continuaram a fazê-lo em suas comunidades. Nos primeiros dias de lua cheia, vê-lo surgir por trás da cordilheira é um espetáculo belíssimo, seja do Valle de Ia Luna ou da própria cidade de San Pedro. Para melhor observá-lo, a partir da cidade, siga até o campo de futebol, atrás do museu, dobre à esquerda e em seguida à direita, paralelamente ao cemitério, em direção oeste, seguindo a rua até que ela termine. Aviste uma cruz já fora da cidade, passe por ela e você terá um descampado sem iluminação, com o Licancabur à frente. As luzes que você observar descendo pela cordilheira são os carros cruzando a fronteira, vindo da Argentina. Para subir o vulcão, deve-se ir pelo lado boliviano. 0 trekking de dois dias custa cerca de LIS$150, incluindo guia, transporte, alimentação e equipamento de camping.

Reserva Nacional los Flamencos A Reserva, administrada pelo Conaf, é um Conjunto de sete setores diferentes espalhados ao redor do Salar de Atacama, mas não exatamente dentro dele. Criada em 1990, possui área total de 74 mil hectares e funciona como um parque nacional. Na Reserva não se pode acampar, não há acomodações nem alimentação. A melhor forma de explorar o local é baseando-se em San Pedro.

"Vale da Lua."

Salar de Atacama Localizado ao sul de San Pedro, o Salar de Atacama é um extenso lago salgado que secou, deixando uma superfície de sal de 3.200 Km2, o maior depósito de sal do Chile. 0 Salar fica entre a Cordilheira dos Andes a oeste e a Cordilheira de Domeico, a leste, e para ir até lá, só com carro próprio ou em tours de operadoras. Com um detalhe: não é permitido rodar com veículos no lugar. 0 ponto de entrada e que permite uma exploração parcial do local é o que dá acesso à Laguna Chaxa, a mais ou menos 25 Km do vilarejo de Toconao, vizinho a San Pedro, onde habitam flamingos de três espécies (Andina, Chilena e a rara James). Há um posto de controle da Conaf, onde um guarda-parque cobra LIS$2,60 pela entrada. Tours organizados pelas agências de viagem custam entre LIS$12 e US$15

Salar de Talar Este lugar é uma surpresa - talvez o mais inusitado e belo da região norte do Chile. Imagine uma montanha de enxofre de cores que vão do mostarda ao marrom em degradê, atingindo o puro cinza. A seus pés um raso lago de água azul-piscina que vai se estendendo até tornar-se puramente branco de sal. Às bordas deste lago majestoso, uma vegetação verde-claro que resiste ao frio e ao constante vento andino. Parece uma pintura à base de pastel a óleo. É para curtir e viajar nas cores, mudanças de tons e formas. Muitas vezes os tours que vão para as lagunas Miniiques e Miscanti também seguem para o Salar de Talar, que não é tão freqüentemente visitado, não estando sempre incluído nos passeios mas é bem legal e vale a pena pedir para conhecer.

Laguna Miniques e Laguna Miscanti
Estas duas lagoas irmãs são gigantescas poças azul marinho que se alongam ao pé da cordilheira. Emolduradas por uma extensa praia de areia amarelada, são separadas por uma pequena faixa de terra. A toda volta brotam ervas verdes no terreno suavemente ondulado. Ao fundo a cordilheira apresenta-se com inúmeros vulcões. As operadoras costumam fazer um percurso englobando o Salar de Atacama e/ou Salar de Talar e as lagunas por preços que variam de LIS$35 a LIS$55. Saídas por volta das 7h e retorno no fim da tarde, com café da manhã e almoço Incluídos. Viajando independente, para todo 0 percurso o tempo gasto é de pelo menos 6 horas de carro em estrada de terra.

Pukara de Quitor Local da batalha que determinou a conquista espanhola sobre os índios atacamenhos, as ruínas desta fortaleza pré-incaica não estão muito bem preservadas, mas, ainda assim, pode-se imaginar a distribuição espacial das edificações. Pukara significa fortaleza, em cunza. 0 local fica no alto de um morro na Cordillera de Ia Sal, com bela vista do vale no qual a Pukara se localiza. De San Pedro dá pra ir caminhando ou de bike. Siga a Domingo Atienza em sentido norte. Cruze a estrada que segue a Calama e prossiga por um quilômetro. Também há tours que fazem excursões a

"UUHHHUUUU!"

As atrações da Reserva Nacional los Flamencos são: Salar de Tara e Águas Calientes (Sector 1), próximo ao Paso de Jama; Salar de Pujs (Sector 2), Lagunas
Miscanti e Minhiques (Sector 3), próximo ao Paso de Sico; Laguna Chaxa (Sector 4), o único onde há um guarda-parque permanente e que faz parte do Salar do Atacama, entrada 1.500 pesos, crianças 500 pesos, funciona de outubro a abril das 8h30-20h30, mas de maio a setembro fecha mais cedo, às 18h30; Agua de Quellana (Sector 5), por enquanto sem estrada de acesso, a ser construída no futuro; Valle de Ia Luna (Sector 6), compreendendo os sítios arqueológicos de Tulor e de Coyo, que é administrado pela comunidade local; Bosque de Tambillo (Sector 7), cinturão de árvores de Tamarugos, logo ao norte de Toconao, florestadas ali na década de 60 por pesquisadores canadenses, o fruto das árvores é utilizado como alimento para os animais - bodes e burros.

Toconao É uma pequena vila a 40 Km ao sul de San Pedro, possivelmente com menos de mil habitantes. 0 povoado abriga algumas lojinhas de artesãos e uma mina de liparita, uma pedra vulcânica branca, usada para construção. Uma outra pedra vulcânica, a calisa, é usada pelos artesãos para esculpir pequenos objetos. A simpática praça central, onde as crianças brincam à tarde, possui uma bela torre branca datada de 1700. Opções para comer e dormir em Toconao: Rest. El Valle de Toconao, C. Lascar 236; lp US$5, 2p US$10. Não tem café da manhã incluido. Residencial Gonzalez, C. Huaitiquina, em frente à praça.

Quebrada de Jerez
É um cânion fértil que rasga o deserto com paredes de mais de 20m de altura. Ao longo de um pequeno rio, você encontra um curioso oásis onde são plantadas diversas frutas, como uva, pêra, romã e o membrifio (parecida com a pêra e a maçã, mas um pouco mais ácida). Você pode passear por esses pomares e curtir o agradável barulho de água corrente, que em nada lembram estar no meio do deserto.

El Tatio Enfrentar o frio intenso e o sono da madrugada; é assim que começa o passeio aos gêiseres de El Tatio, localizados a 95 Krn ao norte de San Pedro de Atacama. A 4.300m de altitude, o frio no local pode atingir os WC negativos, momentos antes da alvorada, mas depois, com o sol, a temperatura sobe muito, podendo-se até ficar de camiseta. Devese chegar antes das 7h da manhã, hora em que os gêiseres estão ativos. Depois, sua atividade vai diminuindo,até cessar por completo, em torno das 10 h. 0 visual é de fim de mundo. Ao caminhar pelo solo de lava vulcânica, você poderá ver jorros de fumaça quente brotando dos gêiseres no chão. São dezenas destes gêiseres de várias intensidades e formatos. À medida que o sol vai nascendo por trás da cadeia de montanhas, o brilho da fumaça muda, e os contraluzes tornam a visão ainda mais espetacular.Logo ao lado dos gêiseres do El Tatio estão pequenas piscinas naturais de água transparente e esverdeada. Toda a área em volta dos gêiseres é muito bela. No caminho de volta passa-se por longos trechos de terra dourada e avermelhada, onde não raro vicunhas estão presentes. As operadoras de turismo oferecem este passeio por LIS$16 a LIS$20, pegando os passageiros em seus hotéis entre 3h30 e 4h da manhã. Não deixa de ser engraçado ver montes de viajantes nas ruas, no frio e no escuro esperando ansiosamente suas vans passarem. Se você estiver de carro, é melhor deixá-lo na cidade, pois as estradas são péssimas e muito confusas. Leve água, muitos agasalhos e roupa de verão por baixo, para quando esquentar. É também possível tomar banho em uma das piscinas termais 

Dicas de GUSTAVO VIVACQUA

1.Se você estiver de carro ande sempre de tanque cheio. O posto é em San Pedro de Atacama.

2.Não deixe de visitar os gaisers do El Tatio. É uma das atrações mais legais. O lance é acordar de madrugada e chegar lá ainda de noite para ver o chafariz natural de água brotando no chão. Depois você toma banho nos lagos quentinhos olhando para as montanhas nevadas.

3.Existem diversas agencias de turismo em San Pedro do Atacama, elas oferecem todo tipo de facilidade para o turista.

4.A noite em San Pedro é maneirinha. Tem vários barzinhos arrumados e quem olha de fora não dá nada. Só vê que é legal quando entra.

5.Não entre numa de beber na rua como no Brasil. É proibido e você vai levar uma bronca da policia.

6.A melhor maneira de chegar em San Pedro é de avião. De ônibus , vindo de Santiago demora cerca de 20 horas.

7.A melhor época para se visitar é no meio do verão.Assim você evita o "invierno boliviano" que neva e chove no alto das montanhas e depois os rios transbordam isolando alguns caminhos.

8.Tem um passeio maneiro que te leva até o deserto de sal de Uyuni na Bolívia. Vale muito a pena conhecer.

9.Não escolha um guia com carro velho. Pague mais e pegue o melhor. Ficar parada no deserto no meio do nada não é maneiro.

10.Não fume e caminhe devagar em altas altitudes. Acredite, você vai passar perrengue em lugares com quase 5.000 de altitude.

11.Visite a Lagoa Chaxa de tarde e veja um monte de flamingos. É no Salar de Atacama.

12.A noite a temperatura cai absurdamente. Não dê mole e procure um bom abrigo em San Pedro antes de anoitecer.

13.Há vários passeios de aventura por aqui. Vulcões, salares, desertos e visuais lunares. É alucinante.

14.Tem uma bebida maneira local , o Pisco Sauer. Experimente.

15.Lembre-se de levar sempre água e casaco, afinal você está no lugar mais seco do planeta!

16."Viajamos nas ferias de julho de 2008 para santiago , alugamos uma van de 12 lugares ano 2008 no aeroporto de santiago viajamos ate san pedro do atacama .entramos em uma agencia de turismo e compramos o pacote de passeios para 4 adultos 1 adolecente e uma crianca ,na ivero travels da rosana ela orienta os passeios para fazer a climatizacao por causa da altitude voce pode passar mal ,o guia victor (argentino) muito bom e simpatico no levou em lugares que marcou a nossa viagem no deserto,geysers del tatio,lagunas altiplanicas,salar de tara,valle de la luna de dia muito quente a noite muito frio ,comida ruim ,os chilenos sao muito simpaticos fazem esforco para nos emterder pode levar criancas acimas de 5 anos eu levei o meu filho israel e samuel de 12 anos , nao tive nenhum problema. nos curtimos muito vale a pena conhercer,eu estou me programando para sair de carro de petropolis R.J ,em janeiro de 2009 para fazer a patagonia.RICARDO DE PETROPOLIS,ate breve

17."E ninguém comentou nada sobre San Pedro de Atacama, ao norte com seus Geisers e Salares !!! Fantástico e imperdível!!!Cesar

CL IQUE AQUI para enviar a sua dica.

VEJA AQUI OUTROS DESTINOS