"Aqui é o centro cívico."

Antes da chegada dos espanhóis na América, a região servia de passagem pelos Andes para os índios mapuches, entre o que viria a ser o Chile e a Argentina. Esses bravos indígenas resistiram à ocupação européia até o final do século 19, quando enfim o General Roca conquistou a área. Logo chegariam imigrantes alemães, estabelecendo-se e criando uma pequena vila.

San Carlos de Bariloche está localizada na Província de Río Negro, junto à Cordilheira dos Andes na fronteira com o Chile. Está rodeada por lagos (Nahuel Huapi, Gutiérrez, Mascardi) e montanhas, como o Cerro Tronador (3354 m de altitude, na fronteira com o Chile), o Cerro Catedral (movimentada estação de esqui) e o Cerro López. Possui cerca de 80 mil habitantes.

O nome Bariloche deriva da língua mapuche, e significa "povo de trás da montanha". Isto porque seus primitivos habitantes, os índios mapuches, eram originários do outro lado da Cordilheira dos Andes. A altitude menor dos Andes na região de Bariloche ,em alguns casos, inferior aos 1000 m, cobertos de bosques permitiu aos mapuches migrarem há séculos do sul do Chile para a região da Patagônia argentina.


 Seu clima é temperado, influenciado pela proximidade dos Andes, e suas florestas se mantêm graças à abundância de água dos grandes lagos glaciais, como o Nahuel Huapi. No inverno , as temperaturas caem abaixo de zero e a maior quantidade de neve nas montanhas mais altas dá início à temporada de esqui. Afastando-se poucos quilômetros para leste da cidade, porém, o clima se torna mais seco, surgindo a fria estepe da Patagônia, com sua vegetação de gramíneas cada vez mais esparsas, até que a paisagem se torna a de deserto.

"Um teleférico te leva para o restaurante giratório no topo do Cerro Otto."

Além das montanhas onde se podem praticar esqui e "snowboard" (Cerros Catedral e Tronador) destacam-se o Parque Nacional Nahuel Huapi, a travessia dos lagos andinos até o Chile, a Isla Victoria (no lago Nahuel Huapi), a região de El Bolsón (ao sul da cidade), a Colonia Suiza (em meio a bosques, na qual se situa um museu que conta a imigração suíça para a região) e os percursos turísticos chamados Circuito Chico e Circuito Grande, com paradas em vários pontos de onde se têm vistas panorâmicas dos bosques e montanhas ao redor da cidade. Seu comércio voltado para o turismo é principalmente de artigos de lã, couro e chocolates. Para os interessados em turismo de aventura, há opções de "rafting", cavalgadas, "parapente" e ciclismo de montanha.

Transporte
A cidade tem um aeroporto que está equipado para receber jatos, e opera vôos domésticos e internacionais para países vizinhos. Por rodovia, fica a 1638 km ao sul da capital argentina, Buenos Aires. Liga-se ao Chile por rodovia (cerca de 130 km até a fronteira, e mais 115 km até a cidade chilena de Osorno), havendo a opção, para turistas, de travessia em percursos alternados entre barcos e ônibus, num passeio conhecido como Cruce de Lagos.

"Nessa praça tem cães São Bernardo que tiram fotos com os turistas."

Atrações:

PARQUE NACIONAL NAHUEL HUAPI - Bariloche está dentro ,dele. A pesca nos lagos só é liberada no verão e com licença (de US$ 10 a diária a U$$ 65 por temporada). Pagam-se US$ 4 para passeios no Cerro Tronador e para s excursões lacustres de Isla Victoria e Puerto Bles.

Centro Cívico   É um dos lugares mais bonitos do centro. Monumento Histórico Nacional, seus edifícios em estilo medieval estão localizados em torno de uma pequena praça. Inaugurado em 1934 ,ali se encontram: a Prefeitura, a Secretaria Municipal de Turismo, Polícia Local, Museu da Patagônia e Biblioteca Sarmiento. Não deixe de tirar fotos de ótima qualidade com os cães São Bernardo e seus filhotes  que ficam por ali.

Museo de la Patagônia Localizado no Centro Cívico, apresenta salas de Ciência Natural, Etnografia, Pré-história, História Regional e local. Bem interessante, mostra a história de Bariloche, artigos indígenas, com importante acervo e interessantes exposições temporárias. Dá uma aula de história e geografia sobre o ecossistema.

Museo Paleontológico Exibe interessante mostras de matriais provenientes de diferentes períodos geológicos, além de aranhas gigantes e outras curiosidades. Fósseis impressionantes de 300 milhões de anos, até o esqueleto de um dinossauro de 1,50m, que viveu há 90 milhões de anos atrás...bom para aprender! Aberto de 2ª à sábado das 16 às 19hs, entrada livre. (O end. Av. 12 de Octubre com Sarmiento próximo ao Lago Nahuel Huapi)

Calle Mitre Passeio obrigatório para o turista, é o "point" da cidade. Mil lojas de casacos, moletons, artigos de ski, anoraks, chocolates, lembranças, restaurantes, cachecóis, luvas, gorros, casacos de pele, presentes, mais chocolates, botas, peça